Dicas de Sydney: tudo o que você precisa saber!

Neste post confira nossas várias dicas de Sydney, que é uma das cidades australianas mais conhecidas internacionalmente e – aposto! – que você pensou que ela é a capital do país.

Errado!

A capital da Austrália é Camberra, mas Sydney foi quem pegou a maior fama e se tornou um dos destinos turísticos mais famosos da Oceania.

Numa região pertencente aos aborígenes séculos atrás, Sydney foi ocupada e fundada pelos britânicos em 1788 e de lá para cá ela se tornou a maior cidade da Austrália.

Conhecida por ser uma metrópole vibrante, diversa, moderna e bastante segura, Sydney também oferece muitas atividades de contato com a natureza (estamos falando de Austrália, óbvio que natureza não faltaria), principalmente praias.

Dicas de Sydney

Dicas de Sydney: tudo o que você precisa saber!

Como chegar em Sydney?

Geralmente associamos “o outro lado do mundo” com o Japão, mas a Austrália também fica do “outro lado do mundo”… Então, já dá pra imaginar que um voo direto para Sydney seria um pouco complicado, né? Portanto, é preciso fazer conexões.

Saindo de Santiago do Chile, por exemplo, a viagem dura cerca de 12 horas. Dá também para pegar voos com conexão em Joanesburgo (África do Sul), via Los Angeles (EUA) ou por Dubai (Emirados Árabes).

Quando fomos, voamos do Rio de Janeiro para Santiago (4 horas) e de lá para a Austrália (mais 12 horas de voo). É cansativo, mas vale a pena!

Veja abaixo algumas opções de passagens. Clique para saber mais.

Passagens aéreas saindo de

Como ir do aeroporto ao centro de Sydney?

O aeroporto de Sydney fica a cerca de 10 km do centro da cidade e, tirando as opções sempre existentes de táxi (entre A$ 45 e A$ 55) ou uber (entre A$ 36 e A$ 45), uma das nossas dicas de Sydney é sair do aeroporto por transporte público! Isso porque ele é ótimo e vai direto aos principais pontos da cidade em menos de meia hora.

trem que liga o aeroporto com o centro em 13 minutos, o único problema este caso é o preço, por volta de A$18, um pouco salgado se for comparar com trajetos “normais” em Sydney, já que a taxa inclui não só o transporte público como também as taxas de serviços do aeroporto.

Existe também a opção de ir de ônibus. A linha é a 400 e é um ônibus circular que passa por diversas estações de trem da cidade (então, dá pra fazer uma baldeação, por exemplo). Esse transporte fica na Arrival Ct Street, no Terminal 1 e, no terminal doméstico, na Shiers Av Street, Terminal 3. Sai mais barato do que pegar o trem direto do aeroporto, mas veja se ele serve para você.

aeroporto de Sydney

Só fique atento de adquirir o seu Opal Card logo que chegar, assim, você já o usa no transporte e economiza! Leia mais sobre ele lá no fim do post.

Nós optamos por contratar um serviço de transfer lá na hora mesmo, pois estávamos com crianças e amigos, então, para nós saiu mais cômodo e barato do que o trem, já que ficamos na porta do nosso hotel. Pagamos cerca de A$ 12 por pessoa.

Você já segue o nosso Instagram? @TuristaProf

Documentos necessários para viajar para Sydney

Os brasileiros precisam de visto para entrar na Austrália, mas o processo é simples, ainda que chatinho. Tem que fazer o cadastro no departamento de imigração, pela internet mesmo, responder um questionário gigante e pagar uma taxa. O visto para visitantes dura 3 meses.

Leia aqui o passo-a-passo para tirar o visto para a Austrália.

Além do visto, também é preciso levar o Certificado Internacional de Vacinação contra Febre Amarela.

Sydney dicas - Dicas de Sydney: tudo o que você precisa saber!
Toda burocracia vale a pena, porque a cidade é linda!

Que moeda levar para Sydney?

Na Austrália, a moeda é o dólar australiano, de sigla AUD e ele tem, em geral, uma cotação um pouco mais baixa do que a do dólar americano. O dólar australiano faz parte do grupo de “moedas fortes internacionais”, ou seja, moedas que são fáceis de encontrar em casas de câmbio no Brasil e possuem uma alta valorização sempre.

Uma das dicas de Sydney neste caso é nunca levar reais para serem trocados lá. As melhores opções são já ir com o dólar australiano trocado do Brasil (faça uma pesquisa nas casas de câmbio) ou, então, leve dólares americanos ou euros (outras moedas fortes) para serem trocados em Sydney.

SEGURO VIAGEM COM ATÉ 10% DE DESCONTO

Não esqueça de fazer um bom Seguro Viagem, afinal, você não vai querer ficar desprotegido longe de casa, né?! Clique aqui para encontrar os melhores preços, pague em até 12 vezes no cartão ou com 5% de desconto no boleto. Use o cupom TURISTAPRO5 e ganhe mais 5%.


Como é o clima em Sydney?

De clima seco, em Sydney as temperaturas nunca vão ser muito baixas, mesmo no inverno. Nós fomos em julho (auge do inverno) e em alguns dias chegamos a andar de blusa de manga curta. Mesmo nos momentos mais “frios”, como de manhã cedo ou de noite, não era nada demais.

Durante o verão, nos meses de dezembro a fevereiro, o clima seco fica levemente úmido com temperaturas na faixa dos 25ºC e dias mais longos. No inverno, que acontece nos meses de julho, agosto e setembro, as temperaturas baixam e podem chegar aos 10ºC, é neste período também que chove menos.

sydney praias
Apesar de ser inverno, dá até para andar de manga curta em dias de sol

Melhor época para visitar Sydney

Como o clima não varia absurdamente, Sydney pode ser visitada o ano todo.

A alta temporada coincide com o verão, entre dezembro e fevereiro, portanto, a cidade está mais cheia e mais cara, mas com o verão no ápice.

A dica de Sydney para quem quer curtir o calor sem gastar muito é ir um pouco antes, entre setembro e novembro.

A baixa temporada vai de maio até agosto e corresponde ao inverno, o que não é tão ruim assim, já que a cidade não tem frio rigoroso e chove pouco. Nós adoramos!

Sydney de noite
Voltando de um passeio de barco fomos brindados com este visual

Quanto tempo é necessário para conhecer Sydney?

O tempo mínimo para conseguir conhecer a cidade e seus principais atrativos com calma seria um roteiro 3 dias em Sydney, sem contar dia de chegada e partida.

Se quiser incluir bate e voltas, vale a pena ficar mais tempo ainda. Menos que isso, até dá, mas ficaria extremamente corrido, cansativo e com menos atrações a serem vistas. Fora que é tão trabalhoso chegar até Sydney (lembre-se que a cidade fica do outro lado do mundo!) e ela é tão legal, que você não vai querer curtir na correria.

O que fazer em Sydney?

São vários pontos turísticos que não podem ficar fora do seu roteiro em Sydney.

A Opera House, com a Harbour Bridge em frente, é um dos mais famosos.

Ópera de Sydney

Vá bater perna pelo The Rocks, o bairro mais antigo de Sydney e, ainda, pelo Royal Botanic Gardens, de onde se consegue tirar uma das melhores fotos do prédio da Opera.

Dá pra apreciar a vista da cidade toda do Tower Eye e depois descansar no Hyde Park em contato com a natureza e ainda visitar ali ao lado a Catedral de St Mary.

Catedral St Mary em Sydney

Para quem quiser curtir a noite, uma das dicas de Sydney é ir na região do Darling Harbour, que também pode ser aproveitada de dia.

Já se você quer ver animais, em especial os australianos, existem quatro boas opções: o Sealife Sydney Aquarium, o Taronga Zoo, o Wild Life Sydney Zoo e o Featherdale Wildlife Park.

dicas de Sydney

Em relação às praias, vá pelo menos até Bondi, Coogee e Manly (acessada por ferry).

Onde ficar em Sydney?

Sydney é considerada uma das cidades mais bonitas do mundo. É uma metrópole vibrante que pode sair cara dependendo de onde você se hospedar, começando pelo Circular Quay, que é uma das regiões com as hospedagens mais caras em Sydney. Isso porque a região é bem próxima do Opera House, o maior ponto turístico da cidade, e tem ótima localização e vista.

Já o bairro The Rocks fica do lado e é mais em conta, com a vantagem de ainda estar na região turística, próximo de tudo.

The Rocks - Sydney

Outro ponto em Sydney que pode ser bom para se hospedar é o CBD (Central Business District) que é conhecido somente como “City”. É um bairro bem servido de transporte público e comércio, assim como o bairro Haymarket.

Darling Harbour já fica um pouco mais distante dos pontos turísticos e é menos servida de transporte público, mas a região em si é bastante viva, com lojas e restaurantes. Por outro lado, ela está ao lado do centro e se você tiver disposição para caminhar um pouco, ficar lá não será um problema.

O Darlinghurst também é outro ponto em Sydney onde a hospedagem pode ser bem bacana. A região é o centro de cultura LGBT da cidade e conta com galerias de arte e cafés pelas ruas, além de ser também o local onde ocorre o desfile do Mardi Gras.

Você já segue o nosso Pinterest?

Nós ficamos pertinho da estação de trem Kings Cross, um pouco acima da região de Darlinghurst, e fizemos muita coisa a pé, ainda que andando bastante. Mas valeu a pena, pois ficamos conhecendo bem a cidade. Gostei bastante do bairro. Ficamos num hotel tipo apartamento, com cozinha integrada, o Regents Courts Sydney e gostei bastante.

Hotel em Sydney

O que comer em Sydney?

Pra quem achou que o Outback era referência de comida australiana, vai ficar um pouco decepcionado. Sydney é uma cidade multicultural, então, não espere encontrar muita comida típica, mas você vai se deparar com uma gastronomia de qualidade e com bastante variedade pelas ruas de Sydney.

De diferentão, é possível encontrar em alguns restaurantes carnes diferentes como de crocodilo e de canguru, mas, no geral, as comidas mais comuns são o bom e velho hambúrguer e também comida chinesa ou japonesa, por conta dos imigrantes.

Se você procura algo parecido com o Outback, dá pra encontrar algumas casas de steakhouse espalhadas pela cidade.

Agora, se você quiser experimentar algumas coisinhas que os australianos comem no dia a dia, experimente um biscoito recheado chamado Tim Tam. Tem também a “meat pie”, uma torta de carne que parece um empadão. Outra comida bem característica é o Vegemite, que dá pra comprar no mercado mesmo. É tipo uma pasta que se come com torradas.

timtam

Preços e melhor maneira de se locomover por Sydney

O transporte público em Sydney é muito eficiente, pontual e com ótima infraestrutura, portanto, outra de nossas dicas de Sydney é usar e abusar dele!

Além dos trens e ônibus, a cidade ainda conta com o ferry, que são as embarcações, e é tudo integrado!

ônibus em Sydney

As cobranças são feitas de acordo com a distância e o horário em que se utiliza o transporte e também variam de acordo com o transporte que se pega, apesar da integração.

Além disso, Sydney vem passando por um processo de mudança no pagamento das passagens e em breve só funcionará com um cartão pré-pago chamado Opal.

Ele é bastante útil, afinal, você coloca crédito nele e só precisa passar na maquininha na entrada e na hora de sair do transporte (assim você vai ser cobrado exatamente pelo trajeto).

O Opal Card pode ser adquirido pelo site ou então em pontos espalhados pela cidade e nas estações.

transporte público em Sydney

Tabela de valores dos trens pelo Opal Card:

  • 0 – 10 km: A$ 2,47   e A$ 3,54 em horário de pico (A$ 4,40 com o ticket em papel)
  • 10 – 20 km: A$ 3,08 e A$ 4,40 no horário de pico (A$ 5,40 em papel)
  • 20 – 35 km: A$ 3,53 e A$ 5,05 no horário de pico (A$ 6,20 em papel)
  • 35 – 65 km: A$ 4,73 e A$ 6,76 no horário de pico (A$ 8,20 em papel)

Acima de 65 km: A$ 6,08 e A$ 8,69 no horário de pico (A$ 10,60 em papel)

Tabela de valores dos ônibus pelo Opal Card:

  • 0 – 3 km: A$ 2,20 (A$ 2,80 no ticket de papel)
  • 3 – 8 km: A$ 3,66 (A$ 4,40 em papel)

Acima de 8 km: A$ 4,71 (A$ 5,80 em papel)

Valores do ferry pelo Opal Card:

  • 0 – 9 km: A$ 6,01 (A$ 7,40 no ticket em papel)

Acima de 9 km: A$ 7,51 (A$ 9,20 em papel)

como se locomover em Sydney

Compras em Sydney

Por ser uma metrópole, Sydney conta com alguns pontos ótimos para se fazer compras dos mais variados tipos.

Pitt Street Mall é um destes locais. É uma rua fechada para veículos, então, funciona como um grande shopping a céu aberto com lojas e galerias como Strand Arcade e o shopping Westfield.

Já no centro da cidade é possível encontrar o Queen Victoria Building (QVB), que é um shopping, mas que funciona como ponto turístico também por conta da arquitetura.

Perto do porto há outro shopping, o Harbourside, que, além de oferecer algumas boas lojas para comprar, também conta com restaurantes e ótimas opções noturnas.

EMBARQUE JÁ COM INTERNET NO SEU CELULAR

Que tal já chegar no seu destino já conectado? O chip da EasySim4U tem planos de dados ilimitados que funcionam em 140 países e ainda planos que incluem telefone, no caso de viagem para o EUA. Bom, né?! Use o cupom TURISTAPROFISSIONAL quando for fechar o pagamento e receba o seu chip em casa com frete grátisCompre aqui


Quanto se gasta em uma viagem para Sydney

Aqui vão os preços médios de algumas coisas em Sydney, para que você tenha uma ideia de gastos, com exceção de passagens e hospedagem, claro, cujos valores são bem relativos.

  • Ônibus – a partir de A$ 2,60
  • Ônibus turístico – A$ 50
  • Água (litro) – A$ 3
  • Refrigerante – A$ 4
  • Cerveja – A$ 8
  • Fast food – A$ 10
  • Almoço – entre  A$ 15 e A$ 25
  • Timtam – A$ 2,50
  • Banana (kg) – A$ 4
  • Visita Guiada à Opera – A$ 40
  • Taronga Zoo – A$ 47
  • Sydney Tower – A$ 28
  • Day tour para Blue Mountain – A$ 120
o que visitar em Sydney
Estádio olímpico

Quais são as melhores praias de Sydney?

Águas cristalinas, paisagens belíssimas… as praias de Sydney são maravilhosas e muitas pessoas chegam a comparar com as do Caribe em beleza.

São diversas praias escondidas entre as mais famosas, então, opção não vai faltar. As mais fáceis e acessíveis são também as mais conhecidas e cheias, como a Bondi Beach, que é a queridinha da cidade. O acesso é super fácil e bastante democrático, sendo frequentada por pessoas de todas as idades, famílias, jovens que buscam surf, etc.

Sydney o que fazer

A Coogee Beach também é outra praia bem conhecida em Sydney, porém, um pouco mais afastada do agito do centro, o que confere uma tranquilidade um pouco maior.

Entre Bondi e Coogee há algumas praias menores, como a Tamarama e Bronte Beach. Nós fomos de ônibus até Coogee Beach e de lá fomos caminhando pela beira mar (tem um caminho preparado para isso) até Bondi Beach. É lindo!

Sydney com criança

Demoramos quase 3 horas nesse trajeto, mas estávamos com uma bebê de 1 ano e duas crianças de 4 e 5 anos, então, o ritmo tinha que ser mais lento. No meio do caminho passamos por uns lugares onde nem dá para chegar de carro, só a pé mesmo, e que eram muito bonitos. Essa é uma das minhas melhores dicas de Sydney: faça essa caminhada de quase 4 km, acredite em mim, vale a pena!

Dicas de Sydney

Outra praia bem famosa é a Manly Beach, grande e com ondas fortes (ela é acessada pelo ferry). Pertinho dela fica a Shelly Beach, menorzinha e ótima para levar crianças e praticar snorkel.

Agora, se você quiser explorar Sydney e encontrar praias mais desertas e igualmente lindas, tem que ir mais longe. Nomes como Palm Beach, Avalon Beach, Redleaf Beach e Camp Cove. 

Dicas extras

Atenção! A voltagem padrão na Austrália é de 220/240 volts e, apesar de muitos aparelhos, principalmente carregadores de celular suportarem essa voltagem, verifique! Ninguém quer pifar nada em uma viagem, né?

A tomada em Sydney possui três pinos, portanto, é necessário levar um adaptador ou comprar um assim que chegar lá também.

Lembrando que Sydney fica do outro lado do mundo, com um fuso horário de GMT+11. Vá preparado para um jet lag bem forte e conte com isso na hora de ver a quantidade de dias na cidade, já que o primeiro dia pode ser bem desagradável, ainda por conta do corpo desregulado com o horário.

Caso tenha algum problema, pode consultar o Consulado do Brasil em Sydney, que fica na Level 6, 45 Clarence Street com atendimento de segunda a sexta, das 9 às 15 horas.

Bom, acho que com estas dicas de Sydney já dá para começar a organizar o seu roteiro, né?!

Boa viagem!

-----------------------------------------------------------------------------------------------------

Se você estiver de viagem marcada, não esqueça jamais de seu Seguro Viagem. Lembre-se que é o seguro viagem para a Europa é obrigatório. Mas, mesmo para os países que não são obrigatórios, como os EUA, nós recomendamos fortemente que você faça, já que o sistema de saúde lá é caríssimo. Então, não embarque sem um ótimo seguro viagem para os Estados Unidos. É aquilo: um seguro é algo que compramos pensando em NÃO usar, né? Mas, se precisar, ele vai te amparar. Nós já utilizamos algumas vezes (em extravio de bagagem e para consultas médicas) e podemos afirmar: é essencial! Faça uma cotação aqui e encontre o seguro viagem mais barato e com o melhor custo x benefício pra você. O link é de uma empresa parceira do blog. Nós recebemos uma porcentagem, mas você não paga nada a mais por isso. Aliás, você paga a menos: leitores do blog têm 5% de desconto! Basta inserir este código promocional na hora de fechar o pagamento: TURISTAPRO5.

Pesquisando hotel?! Então, dê uma olhada no Booking.com! Você não paga nada pela reserva, cancela e altera quando quiser e ainda consegue os melhores preços.

Booking.com

PLANEJE SUA VIAGEM CONOSCO:                                                                               x

reserve seu hotelSeguro viagemchios de internetingressos e passeiosguias de viagempassagens aéreas mais baratasGuia de viagem turista profissional

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here