Expedição para o Jalapão: como funciona?

Como funciona uma expedição para o Jalapão? Eu poderia ficar aqui respondendo a essa pergunta durante horas e horas… e olha que só passei seis dias por lá…

Havia ainda muita coisa para ver, que acabou ficando para uma próxima visita, porque não dava tempo.

Eu poderia também fazer um post fotográfico, sem escrever uma palavra sequer. Afinal, todas as atrações (incluindo os incríveis fervedouros do Jalapão) falam por si mesmas…

Contudo, nem fotos nem palavras são capazes de transmitir totalmente para você, caro leitor, o que é uma aventura pelo Jalapão. A gente tenta, mas é difícil.

E, apesar de considerar o tempo que passei na região ínfimo perto do tempo que o Jalapão merece, meus seis dias de expedição por lá foram intensos, em diversos sentidos da palavra.

Por que intensos?

> Seguro Viagem Nacional: preciso fazer? <

Fervedouros do Jalapão

Como funciona uma expedição para o Jalapão?

Foram dias intensos porque, em primeiro lugar, o Jalapão é ainda selvagem, rústico, pouco tocado pela ação do homem.

Não há muita estrutura para receber o turista, tudo ainda é muito primitivo (com exceção dos quartos das pousadas onde ficamos, que já começam a oferecer uma boa estrutura de hotelaria), o que faz com que pessoas mais sensíveis não consigam encarar as expedições.

Conheço várias que não fariam a viagem.

Pôr do sol no Jalapão Pedra Furada

Em segundo lugar, os trechos percorridos de carro – em estradas bem ruins – são IMENSOS.

Dessa forma, pessoas com problemas de saúde, principalmente de coluna, devem conversar antes com as agências locais, porque algumas agências têm carros mais preparados para que pessoas nessas condições façam o percurso sem sofrer tanto.

Tínhamos uma pessoa com problemas de coluna no grupo e ela foi sempre sentada ao lado do motorista, o que reduziu bastante para ela a intensidade dos solavancos nos trajetos.

A quantidade de atrações também foi uma questão que tornou bastante intensa a nossa expedição porque, em seis dias, visitamos tudo o que era possível, sem descansar – todos os nossos horários foram preenchidos – e, acredite, ainda faltou muita coisa para ver.

Com certeza, não falta o que fazer no Jalapão.

Cachoeira do Formiga no Jalapão
Cachoeira do Formiga

Outro ponto que tornou nossos dias intensos foi a quantidade de informações apreendidas e o absurdo impacto de tantas novas e lindas imagens que, através de nossas retinas, tornaram-se memórias inesquecíveis desse lugar tão maravilhoso, que ficará para sempre guardado em nossos corações.

Por isso tudo, a expedição ao Jalapão é perfeita. E era exatamente assim que eu esperava conhecê-lo: rústico, quase intocado, selvagem. Bruto. Jalapão.

Sinceramente, espero que ele continue assim, e que o homem não altere suas características mais perfeitas, que o tornam único e tão sensacional.

onde é o Jalapão

Como se locomover pelo Jalapão?

Há duas maneiras de se locomover pelo Deserto das Águas: você pode fechar um pacote para o Jalapão com uma agência local ou fazer sua expedição independente – mas, neste caso, só se tiver um bom veículo com tração 4 x 4.

Não deixe de ler, inicialmente, as nossas dicas do Jalapão para quem vai pela primeira vez.

pacote de viagem para o Jalapão
A Serra da Catedral ao fundo

Pacote para o Jalapão com agências

A região atende poucos grupos por vez, não vale a pena ir até Palmas e deixar para contratar um tour por lá. É mais certo contratar uma empresa com antecedência e já sair de casa com tudo “amarradinho”, para não ter problemas.

Se você optar por fechar sua expedição com uma agência, TUDO estará incluído no seu pacote: hospedagens, carro, combustível, almoço, jantar, lanches, água, ingressos das visitações… não há gastos adicionais.

roteiro no Jalapão

Você só terá o gasto com a passagem até Palmas e com duas hospedagens na capital, pois as agências pegam os visitantes bem cedo na manhã do primeiro dia de expedição e levam de volta à cidade no fim do último dia; então você precisará pernoitar por duas noites em Palmas.

Esses gastos não estão incluídos nos pacotes das agências locais.

> Procure aqui a melhor hospedagem em Palmas, Tocantins <

Dá para ir para o Jalapão sem guia (sem pacote)?

Se que você tem uma 4×4, é um experiente motorista, acostumado a terrenos muito difíceis, e gosta de acampar, pode optar pela viagem independente ao Jalapão.

Ou, ao menos, se você alugar um carro com essas características…

Carro Utilize a RentCars e ache o melhor preço de aluguel de carro comparando em mais de 100 locadoras de uma só vez. Pague em real, parcelado em até 12x e com atendimento em português. CLIQUE AQUI E CONFIRA.


Como eu disse antes, a estrutura da região não está preparada para atender muita gente e você pode não conseguir vaga em uma pousada para pernoitar; dessa forma, levar material de camping pode salvar suas noites.

Reserve aqui, neste caso, com antecedência, as pousadas no Jalapão.

Existem aqueles aventureiros mais radicais, que encaram qualquer parada. Dessa forma, tem gente, sim, fazendo a viagem ao Jalapão por conta própria.

pacotes para o Jalapão

As estradas de terra por lá têm trechos muuuuuuuuito difíceis! Além disso, há trechos enormes de estrada sem sinal nenhum de celular ou internet. Chegamos a ficar dois dias inteiros sem sinal, porque em Mateiros o modem da pousada estava com defeito.

Pelo que conversei lá com os moradores, isso acontece frequentemente e os encarregados de fazer os reparos demoram muito a chegar.

Dessa forma, não é uma boa ideia ir por conta própria contando com o GPS. Se quiser se aventurar, leve mapas da região para melhor se localizar.

pacotes para Jalapão

Os próprios guias das agências locais preferem andar em comboios e se comunicam por rádio, porque se algo acontecer com um dos carros, os outros guias ajudam a resolver o que for preciso. São longos trechos de estrada de terra ou areia completamente desertos.

Se você optar por uma expedição independente, tome todos os cuidados necessários para não passar sufoco no meio daquele mundão de estradas de terra, lama ou areia fofa.

Ah, não vá sem um bom Seguro Viagem Nacional!

Como chegar ao Jalapão

Escolhendo fazer sua viagem com agência ou de forma independente, planeje tudo com muita antecedência e cuidado.

O Jalapão vale a pena e é uma experiência inesquecível!

Eu fiquei 6 dias, mas há quem faça um Roteiro de 3 dias no Jalapão e, mesmo assim, vale a pena!

Siga nossas nossas dicas do Jalapão

E boa viagem!

----------------------------------------------------------------

Se você estiver de viagem marcada, não se esqueça jamais de seu Seguro Viagem. Lembre-se de que o seguro viagem para a Europa é obrigatório. Mas, mesmo viajando para países onde o seguro não é obrigatório, nós recomendamos fortemente que você o faça, já que o sistema de saúde em alguns lugares é caríssimo. Então, não embarque sem um ótimo seguro viagem para os Estados Unidos, por exemplo. É aquilo: um seguro é algo que compramos pensando em NÃO usar, né? Mas, se precisar, ele vai te amparar. Nós já utilizamos algumas vezes (em extravio de bagagem e para consultas médicas) e podemos afirmar: é essencial! Faça uma cotação aqui e encontre o seguro viagem mais barato e com o melhor custo-benefício pra você. O link é de uma empresa parceira do blog. Nós recebemos uma porcentagem, mas você não paga nada a mais por isso. Aliás, você paga a menos: leitores do blog têm 5% de desconto! Basta inserir este código promocional na hora de fechar o pagamento: TURISTAPRO5.

🛏 Pesquisando por hotel?! Então, dê uma olhada no Booking.com! Você não paga nada pela reserva, cancela e altera quando quiser e ainda consegue os melhores preços.

 

PLANEJE SUA VIAGEM CONOSCO: 

reserve seu hotelchios de internet
Seguro viagem
ingressos e passeiospassagens aéreas mais baratas
Artigo anteriorComo chegar e o que fazer em Solvang, Califórnia
Próximo artigoO que fazer em San Diego, Califórnia
Evelyn Coutinho de Almeida é formada em Língua Portuguesa e Literatura pela UERJ. Reside no Estado Rio de Janeiro, onde trabalha como professora. Apaixonada por culturas, histórias, viagens e fotografias, é "tripulante" frequente das aventuras do Turista pelo mundo. Com um currículo de mais de trinta países já visitados, escreve como colaboradora do blog desde maio de 2012.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here