Guia para visitar o Grand Canyon no inverno

Atualizado em 10/06/2019

Uma das mais espetaculares formações geológicas da Terra fica no estado do Arizona, Estados Unidos: o famoso Grand Canyon.

Composto por imensos paredões de rocha avermelhada que se formaram por conta da ação de erosão por milhares de anos do rio Colorado, ele proporciona hoje uma das vistas mais lindas do mundo.

São 446 km de extensão por penhascos que chegam a 1,5 km de altura. O vale do Grand Canyon possui quase 30 km de largura e é composto por três pontos de visitação.

Para conhecer essa incrível obra da natureza, é possível fazer passeios de caiaque, trekking, passear de carro e fazer paradas nos mirantes, andar de mula pelos estreitos caminhos da formação rochosa ou, ainda, sobrevoar os paredões de helicóptero ou avião.

A maior parte do Grand Canyon fica dentro do Grand Canyon National Park, mas um pedaço dele pertence a uma reserva indígena Hualapai.

=> Economia:  Seguro Viagem EUA (com desconto)

Chip de Internet Ilimitada nos EUA (com frete grátis)

visitar o Grand Canion no inverno

Ele é visitado durante o ano todo por milhares de turistas, mas com maior movimentação no verão. Inclusive, a dica é reservar com antecedência os hotéis da região.

Porém, engana-se quem pensa que não vale a pena ir ao Grand Canyon no inverno. Apesar de o clima impossibilitar algumas atividades, a vista nesta época do ano continua deslumbrante.

Nós fomos duas vezes e gostamos muito!

Grand Canion no inverno

O que visitar no Grand Canyon

Primeiro, é preciso entender como funciona a visitação no Grand Canyon.

Os paredões possuem três pontos importantes de visitação, chamados de “Rims”. O South Rim, o North Rim e o West Rim.

É bom lembrar que o Grand Canyon é enorme, então, dependendo de qual parte você for visitar, as cidades-base e o tempo de passeio vão variar bastante.

O South Rim é o mais famoso e mais visitado pelos turistas e fica a cerca de 450 km de Las Vegas e 135 km da cidade de Flagstaff, uma das mais próximas.

Essa “borda” do parque fica aberta o ano todo e é indicada para quem gosta de contemplação, já que são mais de 10 mirantes espalhados pela região e diversas trilhas. É também a borda com mais infraestrutura turística e a mais indicada para uma visita ao Grand Canyon no inverno.

grand canion noinverno

O lado norte (North Rim) é menos visitado, mas não menos espetacular. Fica a 400 km de Las Vegas e abre somente durante os meses de maio a outubro, limitando um pouco a visitação. O North Rim também também fica em uma altitude maior, tornando o passeio mais frio e com ar mais rarefeito. São menos mirantes (somente três) e algumas trilhas.

A terceira borda é a mais próxima de Las Vegas, possibilitando um bate e volta (cerca de 200 km) e fica dentro de uma reserva indígena. É o Grand Canyon West e é neste lugar que fica a famosa passarela/mirante de vidro chamada de Skywalk, que precisa pagar um ingresso para ser acessada.

A vista em si não é tão deslumbrante quanto as do South e North Rim, mas vale a pena também, claro, principalmente para quem só tem a opção de ir de Las Vegas e não tem tanto tempo.

 

Grand Canyon no inverno

Agora que você já sabe mais ou menos como é visitar o Grand Canyon, já deu para perceber que o North Rim não é possível de ser visitado no inverno.

Restam então South Rim e Grand Canyon West, que funcionam o ano todo, porém com algumas limitações específicas como, por exemplo, trilhas cobertas por neve e gelo.

inverno no Grand Canion

Ir ao Grand Canyon no inverno vai proporcionar uma visitação diferente. Tenha em mente que, possivelmente, você vai precisar de mais dias de passeio, para garantir uma boa vista, já que a neve e o tempo encoberto podem fechar estradas e “tapar” o vale. Nós sempre tivemos sorte nesse quesito, pois nunca pegamos a vista impedida por nuvens.

Para saber sobre as condições do tempo lá, visite o site oficial, que tem sempre os boletins atualizados.

Os passeios serão muito mais de contemplação do que de aventura, devido ao gelo e ao frio mais intenso. Mas, em compensação, poder ver os paredões com neve é algo incrível e bem diferente da habitual imagem do Grand Canyon. Além disso, o lugar fica bem mais vazio e os hotéis da região muito mais baratos. 😉

SEGURO VIAGEM COM ATÉ 10% DE DESCONTO

Não viaje sem um ótimo seguro viagem para os Estados Unidos, pois a saúde lá é particular e qualquer simples arranhão pode representar um gasto de alguns milhares de dólares. Faça uma cotação aqui para achar o seu seguro ideal e ganhe 5% de desconto usando o nosso cupom TURISTAPRO5. Ah, e quem pagar no boleto, ganha mais 5%.


As temperaturas ficam bem baixas, então prepare-se também para o frio. A dica é ficar pelo menos uma noite e se hospedar o mais perto possível do parque para aproveitar os momentos em que o sol aparece e não perder tempo! Leve roupas impermeáveis e calçados antiderrapantes, além de cachecol para o vento.

Como chegar no Grand Canion

Onde ficar no Grand Canyon

Dentro do Grand Canyon National Park há diversas opções de acomodação, que se esgotam com meses de antecedência, portanto faça um bom planejamento.

São quatro hotéis pertinho do Canyon: El Tovar Hotel, Bright Angel Lodge, Thunderbird Lodge e Kachina Lodge. A vantagem de ficar neles durante o inverno é a facilidade de estar pertinho da atração e a otimização do tempo. Lembre-se de que a dica do Grand Canyon no inverno é ficar mais de um dia, se possível!

onde ficar no grand canion

Mas se ficar em um dos hotéis dentro do parque não for a opção viável, há algumas cidades próximas. Tusayan é uma delas, a 2 km de distância do parque, e foi lá que nos hospedamos, no Holiday Inn Express.

Tem também a cidadezinha de Williams (uma gracinha, aliás!), mas ela fica mais longe, cerca de uma hora de viagem de carro. Claro que os preços acompanham também, sendo  uma opção mais barata por ficar mais afastada.

como visitar o grand canion

Flagstaff entra na lista de cidades-base para visitar o Grand Canyon no inverno. Ela fica a mais ou menos duas horas de carro da entrada do parque. O interessante de Flagstaff é que a cidade mantém alguns trechos da famosa Rota 66 e, de quebra, você ainda poderá conhecê-la.

Las Vegas é outra cidade bem famosa que é conhecida também por seus bate e volta ao Grand Canyon. A desvantagem de utilizá-la como cidade-base no inverno é justamente a questão da possibilidade de um tempo muito fechado no dia do bate e volta.

Por essa razão, Las Vegas não é aconselhável no inverno. Lembrando que a borda mais próxima de Las Vegas é a West Rim, que fica na reserva indígena.

EMBARQUE JÁ COM INTERNET NO SEU CELULAR

Chip de viagemQue tal já chegar ao seu destino já conectado? O chip da EasySim4U tem planos de dados ilimitados, que funcionam em mais de 210 países, e de voz para EUA, México, Canadá e Europa. Bom, né?! Use o cupom TURISTAPROFISSIONAL quando for fechar o pagamento e ganhe o frete grátis

COMPRE SEU CHIP AQUI!

 

Por acaso, em nossas duas visitas, nós partimos de Las Vegas: uma num bate e volta – que é cansativo, mas ainda assim valeu a pena – e, na segunda vez, fomos de carro até Tusayan, onde pernoitamos.

visitando o grande canion no inverno

Definitivamente, poder dormir lá é bem melhor e menos puxado. No nosso caso, optamos por dormir lá porque em um dia queríamos visitar os mirantes e no dia seguinte fazer o sobrevoo de helicóptero, mas… 

Quando chegamos até o local, assistimos ao vídeo de segurança, mas na hora “H” de voar, começou a nevar. Ainda esperamos um tempo para ver se parava, mas não parou e, assim, tivemos que ir embora sem fazer o sonhado voo. Foi bem frustrante! Vamos ter que fazer o imenso “esforço” de voltar, rsrs!

rota 66 estados unidos
A pequena cidade de Williams, na Rota 66

Então, se estiver planejando uma viagem para aqueles lados dos Estados Unidos, considere conhecer o Grand Canyon no inverno ou em qualquer outra época do ano, pois é um lugar deslumbrante e com um visual único.

Boa viagem!

----------------------------------------------------------------

Se você estiver de viagem marcada, não se esqueça jamais de seu Seguro Viagem. Lembre-se de que o seguro viagem para a Europa é obrigatório. Mas, mesmo viajando para países onde o seguro não é obrigatório, nós recomendamos fortemente que você o faça, já que o sistema de saúde em alguns lugares é caríssimo. Então, não embarque sem um ótimo seguro viagem para os Estados Unidos, por exemplo. É aquilo: um seguro é algo que compramos pensando em NÃO usar, né? Mas, se precisar, ele vai te amparar. Nós já utilizamos algumas vezes (em extravio de bagagem e para consultas médicas) e podemos afirmar: é essencial! Faça uma cotação aqui e encontre o seguro viagem mais barato e com o melhor custo-benefício pra você. O link é de uma empresa parceira do blog. Nós recebemos uma porcentagem, mas você não paga nada a mais por isso. Aliás, você paga a menos: leitores do blog têm 5% de desconto! Basta inserir este código promocional na hora de fechar o pagamento: TURISTAPRO5.

🛏 Pesquisando por hotel?! Então, dê uma olhada no Booking.com! Você não paga nada pela reserva, cancela e altera quando quiser e ainda consegue os melhores preços.

PLANEJE SUA VIAGEM CONOSCO: 

reserve seu hotelSeguro viagem
chios de internetingressos e passeios
passagens aéreas mais baratas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here