Por: Turista Profissional - Atualizado em 02/08/2020

Localizado no município de Paraty, sudoeste do Estado do Rio de Janeiro, o Saco do Mamanguá tem atraído turistas que buscam por tranquilidade e paz em meio à natureza.

Devido ao seu desenho, é conhecido por ser o primeiro e único fiorde brasileiro, ou seja, mesmo em um país tão vasto e diversificado como o Brasil, apenas ali você vai ver a entrada do mar cercada por deslumbrantes montanhas rochosas, algo comum de se encontrar em países como Noruega, Dinamarca e Nova Zelândia.

O mar, marcante pelo seu tom esverdeado, se estende por 8 km de uma beleza impressionante! Além disso, você vai encontrar um bioma diversificado com muitos animais marinhos e terrestres e todos os tipos de árvores e flores que possa imaginar, além de trilhas, cachoeiras e atividades ao ar livre.

Veja também o que fazer em Paraty

Ao visitar o Saco do Mamanguá, você vai ter a sensação de querer parar o tempo e gravar aquele mar de tons esverdeados para sempre na sua memória, tudo isso devido a sua beleza estonteante.

Por lá, a internet é quase inexistente e a luz elétrica chegou há pouco tempo, então, é um ótimo refúgio para quem busca sossego e se conectar com a natureza.

Portanto, se é o que você busca, leia esse texto até o final e descubra tudo o que você precisa saber para tornar a sua viagem para o fiorde brasileiro inesquecível!

Sempre vá com o seu Seguro Viagem Nacional

Como chegar ao Saco do Mamanguá

onde fica saco do mamangua - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Vista aérea de uma pequena praia no Saco do Mamanguá – Foto: Guerric

Existem apenas duas formas de chegar no Saco do Mamanguá: por trilha ou por barco. A forma mais prática, sem dúvida alguma, é de barco, uma vez que a trilha é para aventureiros que aguentam trilhas pesadas.

As saídas podem ser a partir de Paraty ou Paraty Mirim. Vejamos:

Trilha a partir de Paraty Mirim:

A Trilha sai da Praia de Paraty Mirim e pode levar cerca de 2h. Por ter subida grande logo no início, a trilha é recomendada apenas para aventureiros que estejam acostumados com trilhas de nível média – pesada.

A trilha se inicia depois do Posto da Polícia Ambiental, perto do Cais de Paraty Mirim. Embora não exista sinalização indicando isso, qualquer pessoa local pode te ajudar a encontrar o início.

SEGURO VIAGEM COM DESCONTO

Não esqueça de fazer um bom Seguro Viagem, afinal, você não vai querer ficar desprotegido longe de casa, né?! Clique aqui para encontrar os melhores preços garantidos, pague no boleto ou em até 12 vezes no cartão. Aproveite e ganhe até 20% de desconto com o cupom TRANQUILO, é só clicar no botão abaixo.

COTAÇÃO DE SEGURO AQUI! >>>


Barco a partir de Paraty Mirim:

No Cais da Praia de Paraty Mirim existem inúmeras opções de barco. Escolha sempre um que não seja motorizado, haja vista a preservação ambiental que existe no Saco do Mamanguá.

O Trajeto tem duração de 30 minutos e custa entre R$ 100,00 a R$ 150,00 por barco. O valor varia de acordo com a quantidade de pessoas na embarcação.

saco do mamangua paraty - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Barco nas águas calmas de Mamanguá – Foto: TMbux

Barco a partir de Paraty:

Primeiramente, vá até o Cais de Paraty, localizado no Centro Histórico e busque um barco em direção ao Saco do Mamanguá. Aqui a viagem dura em média 2h se for direto, algumas tem a possibilidade de paradas no caminho para mergulho.

Peça para o barqueiro te deixar na margem que está a sua hospedagem. Nesse caso, a viagem custa em média R$ 250,00.

Aproveite => Saindo do Rio de Janeiro: Traslado até Paraty

Mas como chegar em Paraty Mirim?

Caso você esteja em Paraty e queira ir para Paraty Mirim de ônibus é mais simples que se imagina! Em primeiro lugar, Dirija-se a Rodoviária de Paraty e pegue o transporte Viação Colitur com destino a Paraty Mirim. O percurso dura em média 40 minutos e custa em torno de R$ 3,00. Os ônibus saem de hora em hora.

🚙  Utilize a RentCars e ache o melhor preço de aluguel de carro comparando em mais de 100 locadoras de uma só vez. Pague em real, parcelado em até 12x e com atendimento em português.

CLIQUE AQUI E CONFIRA.


Qual a melhor época para visitação em Saco do Mamanguá?

Decidir quando visitar o único fiorde brasileiro não é uma tarefa tão simples! Isso porque, a região sofre com a incidência de chuvas durante os meses mais quentes e com clima seco nos meses mais frios.

Apesar disso, o Saco do Mamanguá é um ótimo destino em qualquer época do ano e a gente pode te mostrar!

o que fazer no saco do mamangua - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Praia no saco do Mamanguá – Foto: TMbux via Wikimedia Commons

Verão (dezembro a março):

Dezembro e janeiro, conhecidos por serem os meses das férias escolares, são também alguns dos meses que mais sofrem com chuva. Apesar disso, a alta temporada se faz presente com restaurantes lotados, rede hoteleira assoberbada e um calor gigaaaaante em Paraty, porta de entrada para o Saco do Mamanguá!

Com o número de pessoas maior em Paraty, consequentemente aumenta o número de turistas em Mamanguá.

Aproveite e conheça outro paraíso => Viagem a Trindade Saindo de Paraty

Outono (final de março a junho):

Embora o mês de março ainda seja um pouco chuvoso, abril em diante é um convite para você conhecer o Saco do Mamanguá. O sol aparece e a alta temporada vai embora, deixando a região mais tranquila para a sua visita.

Em junho a temperatura começa a cair um pouco, mas nada que te impossibilite de curtir um passeio de canoa sob o sol e ir visitar cachoeiras.

Inverno (final de junho a setembro):

Assim como nos meses de verão, o final de junho a setembro fica lotado de turistas em Paraty que aproveitam para explorar o Saco do Mamanguá, especialmente devido ao evento literário que acontece por lá durante o mês de junho/julho, a FLIP.

Afinal, quem está visitando Paraty, não pode deixar de conhecer o único fiorde brasileiro, né? Embora as temperaturas mais amenas e a água um pouco mais gelada, o que importa é viver e sentir o lugar!

Primavera (final de setembro a dezembro):

Sem chuva, sem frio, sem preços elevados e sem agitação, é uma maravilhosa época para se conhecer o Saco do Mamanguá. Se quer sossego e ainda economizar, marque sua viagem entre os meses de setembro a início de dezembro e aproveite muito o que a região tem de melhor a te oferecer!

Leia também: Trindade RJ (seu guia completo de dicas)

Pico do Mamangua - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Vista do Saco do Mamanguá de uma de suas trilhas – Foto: Ygaray via Wikimedia Commons

O que fazer no Saco do Mamanguá

Além de entrar em contato com a natureza e relaxar bastante, o Saco do Mamanguá é um ótimo destino para quem busca aventuras e atividades junto a paisagens ecológicas e únicas.

Olha só:

Trilhas

Pico do Pão de Açúcar:

É no Pico do Pão de Açúcar que você terá a vista mais extraordinária do Saco do Mamanguá! A trilha mais famosa da região tem início na Vila Cruzeiro e é importante ter boa resistência física, pois apesar de ser apenas 1,4 km de extensão, grande parte da trilha é com subidas, por este motivo é considerada de nível médio a difícil.

Com 438 metros de altitude, o Pico do Pão de Açúcar é o local mais alto da região. A caminhada é realizada dentro da Mata Atlântica e o caminho é bem sinalizado, dependendo do condicionamento de cada um, a trilha pode ser realizada em 1h30. O esforço é recompensado ao chegar no topo da montanha e ter uma visão panorâmica e privilegiada do fiorde brasileiro. Pode ter certeza que valerá a pena todo o esforço!

alto do pao de acucar mamanhgua - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Não parece – um pouquinho – o Pão de Açúcar o Rio de Janeiro?

Cachoeiras

Cachoeira do Rio Grande:

Uma atração bastante procurada pelos turistas, para chegar até a Cachoeira do Rio Grande é necessário seguir pelo mar até o fim do Saco do Mamanguá. Depois disso, ao chegar à área de mangue é preciso prosseguir em canoa e somente após isso, se inicia a trilha até a cachoeira.

A trilha dura aproximadamente 15min e é de nível fácil. Por fim, é só aproveitar e mergulhar nas águas geladas e cristalinas do poço que se forma a partir da incrível queda d’água da Cachoeira do Rio Grande.

Passeio de lancha ou canoa

Ao fundo do Saco do Mamanguá está localizada a maior e mais conservada área de manguezal da baía de Ilha Grande. É uma mistura de mangue com montanhas impressionantes! No caminho você vai encontrar caranguejos e muitos pássaros. Devido a proteção ambiental, esse passeio pode ser feito apenas de lancha, canoa ou barco.

Se você estiver em Paraty Mirim, também vai encontrar saídas diárias de passeios com paradas para o Saco do Mamanguá. Os barcos com lotação para até 7 pessoas, custam de R$ 450,00 a R$ 600,00. Algumas paradas serão feitas para apreciar a beleza das praias do Saco da Velha, Praia Grande e Praia do Engenho.

paraty rio de janeiro - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
O Saco do Mamanguá é perfeito passeios de canoas ou de lanchas

Stand up paddle

O mar calmo do Saco do Mamanguá é bastante convidativo para a prática do Stand Up Paddle. As pousadas geralmente fornecem os equipamentos aos seus hospedes, mas é fácil de encontrar para alugar também.

É uma maneira bastante divertida de conhecer a região do fiorde brasileiro.

Passeie só com seus amigos: Tour Particular de Lancha pelas Ilhas Paradisíacas de Paraty

Praias

A Região é formada por 33 praias de águas geladas, tranquilas e cristalinas. As praias podem ser acessadas de trilha, a pé ou barco. A mais famosa e central é a Praia do Cruzeiro. Uma vez estando hospedado no Saco, aproveite para conhecer o máximo que conseguir!

praia paraty - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Uma das praias do Saco do Mamanguá, Paraty

Onde ficar no Saco do Mamanguá

A oferta de hospedagem no fiorde brasileiro é bem pequena, então a dica é reservar com antecedência. Apesar disso, existem opções que agradam todos os bolsos e gostos. Além de pousadas e campings, é possível encontrar casas para aluguel de temporada.

Procure aqui as melhores hospedagens em Paraty Mirim

Pousada Pão de Açúcar

A melhor da região e a mais bem localizada. Todos os quartos têm varanda com vista para o lago. Esta pousada possui barco para fazer o transfer entre Paraty Mirim e o Saco do Mamanguá. Fica a um minuto da areia da praia e pertinho das trilhas.

  • Localização: Fica à beira-mar na Praia do Cruzeiro, Saco do Mamanguá
  • Preço diária: a partir de R$ 200 para duas pessoas
  • Reservas e mais informações

Mamanguá Eco Lodge

Uma opção para quem procura algo mais sofisticado, a pousada oferece café da manhã e jantar inclusos no valor da diária, além de restaurante, bar e piscina. Há opções de suítes climatizadas que acomodam até 5 pessoas.

  • Localização: Praia Grande, Saco do Mamanguá.
  • Preço diária: Aproximadamente R$ 600,00 para duas pessoas.

Pesquise no mapa as melhores hospedagens perto do Saco do Mamanguá

Refúgio Mamanguá

A pousada dispõe de 10 suítes (8 com vista para o mar) e no valor da diária já estão inclusos o café da manhã, jantar e serviço de traslado. Estão à disposição dos hóspedes o uso do caiaque, para conhecerem o Saco do Mamanguá remando. Além das suítes, no Refúgio Mamanguá também há opções de casas para alugar.

  • Localização: Ao lado da Praia Grande, Saco do Mamanguá.
  • Preço diária: Aproximadamente R$ 600,00 para duas pessoas.
passeio de barco saco do mamangua - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Passeios de barco são comuns no Saco do Mamanguá

Mamanguá Beach Hostel

Uma opção mais em conta, a propriedade dispõe de quartos compartilhados (mistos e femininos) e quartos privativos para 2 ou 3 pessoas. O Hostel é beira mar e oferece café da manhã e bar.

  • Localização: Praia Grande, Saco do Mamanguá.
  • Preço diária: Aproximadamente R$ 100,00 (por pessoa em quarto compartilhado) e R$ 130,00 (para duas pessoas em quarto privativo).

Camping do Orlando

Para quem quer uma opção mais econômica e aventureira, o camping do Sr. Orlando (também dono do Restaurante pão de açúcar) é bem famoso na região. Cozinha e chuveiro de uso comum estão disponíveis.

  • Localização: Praia do Cruzeiro, Saco do Mamanguá.
  • Preço diária: Aproximadamente R$ 30,00 por pessoa.

Camping do Seu Preá

Outra opção de camping que oferece banheiro, chuveiro e cozinha coletiva.

  • Localização: Praia do Cruzeiro, Saco do Mamanguá.
  • Preço diário: Aproximadamente R$ 30,00 por pessoa.
Saco do Mamangua onde e - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Saco do Mamanguá, o fiorde brasileiro!

Onde comer no Saco do Mamanguá

Assim como as hospedagens, são poucas as opções de restaurantes no Saco do Mamanguá, mas os que existem atendem muito bem com pratos frescos de frutos do mar e uma bebida gelada para refrescar após uma trilha ou passeio de canoa.

Confira abaixo onde comer no Saco do Mamanguá:

  • Restaurante do Dadico: restaurante rústico na beira do mar na praia do Pontal, que oferece pratos com pescados frescos e outras opções da culinária brasileira, além de drinks como caipirinhas. Há pratos a partir de R$ 30,00.
  • Restaurante do Cruzeiro: também conhecido como restaurante da Roseli, o restaurante fica bem próximo do acesso para o pão de açúcar, na praia do Cruzeiro. Com um ambiente simples, são servidos pratos com tempero caseiro. Há opção de Prato Feito com peixe por R$ 30,00.
  • Restaurante do Orlando e Maria: outra opção na praia do Cruzeiro, o restaurante também é conhecido por restaurante pão de açúcar e está bem perto do inicio da trilha para o pão de açúcar. Há opções de café da manhã, almoço e serviço de praia.
  • Restaurante do Zizinho: com direito a uma vista maravilhosa, o restaurante do Zizinho fica na Ponta do Leão (após a praia Grande) e há opção de Prato Feito de frutos do mar por R$ 40,00.
  • Restaurante da Dona Gracinha e Juray: com acesso apenas por trilha e necessidade de reserva antecipada, o restaurante oferece pratos preparados em fogão a lenha. Famoso por servir o melhor bolinho de chuva da região!
Saco do Mamangua - Saco do Mamanguá: dicas de viagem
Passe momentos incríveis no Saco do Mamanguá

Dicas extras para visitar o Saco de Mamanguá

  • Levar dinheiro em espécie. Lá não possui caixas eletrônicos, a maioria dos estabelecimentos não aceitam cartão de crédito e o sinal de internet é muito instável.
  • Leve roupas e calçados apropriados para realizar trilhas.
  • É possível reservar almoço antes de subir a trilha do Pico do Pão de Açúcar no restaurante do Sr. Orlando.
  • Leve repelente e protetor solar.
  • Leve medicamento (antialérgicos), pois não há farmácia.
  • Tenha uma lanterna. A energia elétrica é instável e precária, então quedas de energia são constantes.
  • Se você vai ao Saco do Mamanguá, imprescindível se faz subir no Pico do Pão de Açúcar, pois apenas lá, você vai ter a vista deslumbrante do que realmente é um fiorde.

Veja também nossas dicas de o que fazer em Paraty.

Se você estiver pela região, não deixe de conhecer o Saco do Mamanguá. Muito além de praia paradisíaca, é um refúgio para você viver dias que nunca vai esquecer! A tranquilidade, calmaria e contato com a natureza é o que faz o fiorde brasileiro ser tão surpreendente!

Boa viagem!!!

-----------------------------------------------------------------------------------------

Se você estiver de viagem marcada, não esqueça jamais de seu Seguro Viagem. Lembre-se que é o seguro viagem para a Europa é obrigatório. Mas, mesmo para os países que não são obrigatórios, como os EUA, nós recomendamos fortemente que você faça, já que o sistema de saúde lá é caríssimo. Então, não embarque sem um ótimo seguro viagem para os Estados Unidos. É aquilo: um seguro é algo que compramos pensando em NÃO usar, né? Mas, se precisar, ele vai te amparar. Nós já utilizamos algumas vezes (em extravio de bagagem e para consultas médicas) e podemos afirmar: é essencial! Faça uma cotação aqui e encontre o seguro viagem mais barato e com o melhor custo x benefício pra você. O link é de uma empresa parceira do blog. Nós recebemos uma porcentagem, mas você não paga nada a mais por isso. Aliás, você paga a menos: leitor do blog tem 5% de desconto. Basta inserir este código promocional na hora de fechar o pagamento: TURISTAPRO5.

Pesquisando hotel?! Então, dê uma olhada no Booking.com! Você não paga nada pela reserva, cancela e altera quando quiser e ainda consegue os melhores preços.

Autor
Turista Profissional
Este texto foi escrito por mais de um ou mais membros da equipe do Turista Profissional, com supervisão e edição final de Ana Catarina Portugal e Declev Reynier.
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *