Turismo em Joanesburgo: Soweto, Museu do Apartheid e outros

Atualizado em 17/05/2019

Fazer turismo em Joanesburgo equivale a fazer uma visita ao Soweto, que é algo muito emocionante para quem conhece um pouco a História da África do Sul.

Com as cidades de Cape Town e Joanesburgo como as mais conhecidas, a África do Sul é um dos destinos mais procurados por turistas que querem conhecer o grande continente africano, seja por suas belezas naturais (para fazer safáris), pela facilidade da língua (fala-se inglês na África do Sul) ou pelo desenvolvimento do país.

Mas a África do Sul também tem um lado histórico muito forte e importante de ser lembrado: foi neste local que aconteceu o regime do Apartheid, a segregação racial que fazia com que as pessoas negras fossem tratadas de forma inferior em seu próprio país (infelizmente, nada tão diferente assim da atualidade…).

A figura do líder Nelson Mandela vem deste cenário, assim como o bairro do Soweto. 

Nós, é claro, não poderíamos deixar de fazer essa visita. Optamos por fazer uma excursão de um dia que já englobasse todos os pontos de interesses relativos ao apartheid e luta contra a segregação racial na África do Sul. 

=> Economia: Seguro Viagem mais barato para a África do Sul (com desconto)

Assim, escolhemos uma excursão que nos levou às seguintes atrações:

  • Um bairro na periferia de Soweto
  • Casa de Nelson Mandela
  • Museu Hector Pieterson
  • Museu do Apartheid

No caminho, ainda visitamos monumentos e locais importantes, como a praça em homenagem ao Hectos Pietersen, as Torres do Soweto e outros. E ainda tivemos uma paradinha para almoço em um restaurante embaixo das famosas torres.

Conheça agora, então, a história do Apartheid e as atrações da excursão que fizemos quando estávamos fazendo turismo em Joanesburgo!

– Leia também todas as nossas dicas da África do Sul

Excursão em Joanesburgo: turismo no Soweto

Nelson Mandela e o Museu do Apartheid

O que foi o Apartheid e quem foi Mandela?

É preciso entender o contexto de onde surgiu essa política racial implantada na África do Sul. Assim como todo o continente africano, o país foi colonizado por europeus e explorado por muitos séculos.

A África do Sul só se tornou independente oficialmente em 1931, porém, mantendo todas as leis segregacionistas de um país negro colonizado por brancos, no caso ingleses (daí a língua).

Em 1948, com a vitória na eleição pelo partido de minoria branca, nasceu o Apartheid como forma “oficial” de segregação racial. 

Arte de rua sobre apartheid em Joanesburgo
A luta dos negros estampada pelos muros da cidade

Apesar disso, a resistência sempre esteve ativa e em 1950 a organização chamada Congresso Nacional Africano (CNA) começou a atuar mais fortemente, com Nelson Mandela sendo um dos líderes da luta anti racista.

O ápice foi em 1976, com o massacre no bairro periférico de Soweto, onde cerca de 600 jovens negros, entre eles muitas crianças, foram mortos pela polícia durante a repressão a uma manifestação que se iniciou pacífica, conhecida como Levante de Soweto ou o Massacre de Soweto.

Entre os mortos estava o estudante Hector Pieterson, de 13 anos, que se tornou símbolo do massacre, ganhando inclusive um museu com o seu nome.

Monumento lembrando do apartheid em Joanesburgo
Foto do Hector Pieterson sendo carregado nos braços depois do tiro, em uma praça/monumento em Joanesburgo

A violência do Estado, a resistência cada vez mais forte e a política separatista começaram a chamar atenção internacional de modo que o Apartheid começou a perder força.

A própria ONU pressionou a África do Sul e, nos anos 80, o regime já estava com as pernas bambas.

No início dos anos 90, líderes políticos foram soltos, incluindo Mandela (que ficou preso 27 anos), que concorreu e ganhou as eleições em 1994 e aplicou diversas mudanças de igualdade racial na estrutura do país, encerramento oficialmente o regime do Apartheid.

Dicas de cape town

É importante citar que negros só puderam votar à partir de 1993.

Por tudo isso, fazer turismo em Joanesburgo significa conhecer essa história de perto.

SEGURO VIAGEM COM ATÉ 10% DE DESCONTO

Não esqueça de fazer um bom Seguro Viagem, afinal, você não vai querer ficar desprotegido longe de casa, né?! Clique aqui para encontrar os melhores preços, pague em até 12 vezes no cartão ou com 5% de desconto no boleto. Use o cupom TURISTAPRO5 e ganhe mais 5%.


Como funcionava o Apartheid

O Partido Nacional ganhou as eleições gerais de 1948 e formou um novo governo. A política do partido era chamada de apartheid, a palavra africâner que significa separação

As leis eram feitas para que a minoria branca, que era cerca de 20% do país na época, mantivesse os privilégios dos colonizadores e a imensa maioria negra “colonizada”, servisse. Como se fosse uma escravidão moderna.

Nesta época, por exemplo, era proibido casamento e relacionamentos afetivos entre brancos e negros. As escolas eram separadas para crianças brancas e crianças negras. Pessoas negras não podiam votar. Bairros eram classificados pela cor (e quem ficava com as regiões periféricas e péssimas condições estruturais eram os negros, claro).

cartaz do levante de Soweto
Cartaz utilizado no Levante de Soweto, no qual os estudantes protestam contra o ensino da língua Africâner (imposta pela minoria branca)

Negros eram proibidos de ir à universidade e o conteúdo da escola era inferior, de modo a mantê-los na subalternidade nos empregos e profissões. As separações se complicavam ainda mais quando se tratava de pessoas mestiças e algumas famílias chegaram a se separar por conta dessas classificações por cor.

É importante também de se observar que as sequelas do regime continuam até hoje e apesar de não haver a segregação como antigamente, fica claro que muitos negros, em geral, ainda vivem em condições sociais inferiores aos brancos na África do Sul.

EMBARQUE JÁ COM INTERNET NO SEU CELULAR

Chip de viagemQue tal já chegar no seu destino já conectado? O chip da EasySim4U tem planos de dados ilimitados que funcionam em mais de 210 países e de voz para EUA, México, Canadá e Europa. Bom, né?! Use o cupom TURISTAPROFISSIONAL quando for fechar o pagamento e ganhe o frete grátis

COMPRE SEU CHIP AQUI!


Veja agora os pontos de interesse que visitamos em nossa excursão ao Soweto.

Soweto, África do Sul

O nome Soweto vem da corruptela de South Western Townships, ou “Bairros do Sudoeste”.

Soweto fica cerca de 17 km de Joanesburgo, em sua área metropolitana. A região foi criada em 1963 como um local para a organização de um conjunto de bairros para negros, considerando que os negros não podiam viver nas mesmas áreas reservadas aos brancos.

Em 1983, o Soweto foi emancipado de Joanesburgo, passando a ter o estatuto de cidade e a sua própria administração.

soweto joanesburgo - Turismo em Joanesburgo: Soweto, Museu do Apartheid e outros

Soweto ficou muito conhecido na época do apartheid por ser foco de protestos e de resistência anti-racista. Foi ali que aconteceu um dos episódios mais violentos, porém, mais importantes na história do regime do Apartheid na África do Sul: o Levante de Soweto, culminando no assassinato de centenas de estudantes.

É uma visita muito significativa, mas, ao mesmo tempo estranha, porque a gente vai a uma espécie de favela, fala com as pessoas, que parecem “posar”, e chegamos a entrar na casa de uma família. E, sim, podemos tirar fotos, especialmente pedindo permissão (e recebendo-a, claro) e com o aval do guia.

visita à cidade de Soweto, África do Sul

casa no Soewto

Visitar Soweto é importantíssimo para quem quiser conhecer de perto a história da África do Sul, do regime segregacionista e da resistência.

É também um passeio de muita cultura, a começar pelas famosas torres da antiga usina elétrica movida a carvão.

torres ed Soweto na África do Sul

As Torres de Soweto, que chamam atenção ao longe pelos enormes grafites, são hoje um centro de entretenimento. No alto delas tem uma estrutura para saltar de bung-jump (não, não tivemos coragem!), e embaixo tem um restaurante onde se pode provar uma comida típica e beber a cerveja… SOWETO!

cerveja Soweto África do Sul
Quer pular? Pode ir… eu fico aqui… rs

Hoje em dia, o bairro é bem mais desenvolvido do que na época e é um dos pontos de interesse para quem faz turismo em Joanesburgo, tanto para quem quer ver de perto a história quanto para quem vai só pela parte artística/cultural.

Há partes que são com casas mais estruturadas, de classe média, com quintais, gramados, etc, partes com casas de alvenaria comuns, mas sem uma grande estrutura, e, ainda, uma parte em que as pessoas vivem em extrema dificuldade, com casas de zinco, sem saneamento, luz elétrica ou água encanada. Foi essa que visitamos em nossa excursão.

como é o bairro soweto na África do Sul
3 faces de uma mesma Soweto

Apesar de todas as dificuldades, falam com imenso orgulho e respeito do local, que é retratado em diversas manifestações artísticas.

arte da África do Sul soweto
Pintura que compramos lá.

Casa de Nelson Mandela

Nelson Mandela, um dos líderes da luta anti racista e também o primeiro presidente negro da África do Sul, viveu em Soweto durante muitos anos.

Sua antiga casa atualmente funciona como um museu em sua memória na Rua Vilakazi.

Museu casa de Mandela

Depois da visita à favela, fomos à Casa de Nelson Mandela, que é, na verdade, um pequeno museu.

A casa é pequena e se visita em pouco tempo. Mas, lá dentro, você vai ver bastante da história do apartheid e do Nelson Mandela, assim como diversos itens e utensílios pessoais, como a cama, móveis e seus livros.

casa de Nelson Mandela em Joanesburgo

casa de Nelson Mandela em Sowet

Museu Hector Pieterson

O museu leva o nome do garoto de 13 anos morto no Levante de Soweto.

Certamente você já viu a imagem de Hector morto sendo carregado nos braços de um colega, como mostramos acima… a foto está lá também.

Foto do Hector Pietersen

A fotografia é uma das mais famosas da história da África do Sul e representa a violência durante o regime do Apartheid.

museu hector pitersen joanesburgo

O museu em homenagem ao garoto está próximo de onde ele foi baleado e foi criado para lembrar as vítimas deste dia e deixar viva a memória da resistência.

Bem em frente, há um pequeno caminho de grama que conecta a entrada do museu ao local exato onde ele foi baleado (na praça monumento em sua homenagem).

Museu Hector Pieterson

Museu do Apartheid em Joanesburgo

Por fim, fomos ao museu do Apartheid, construído em 2001 e parada obrigatória de quem está fazendo turismo em Joanesburgo. Ele também faz parte do circuito histórico sobre o regime no país.

Neste museu, é possível entender (um pouco) como as pessoas negras eram tratadas em relação às brancas naquela época. Isso porque, logo na entrada, recebe-se um ticket aleatoriamente que te classifica em negro ou branco, fazendo com que a porta de cada um seja separada.

Entradas do museu do Apartheid em Joanesburgo

Já lá dentro, toda a história do regime é contata por meio de fotos, filmes, objetos e vídeos de forma interativa, já que é um museu bem moderno com estrutura multimídia.

Além de contar toda a história do Apartheid, o museu tem como objetivo conscientizar os visitantes e promover a luta contra a discriminação racial.

Interior do museu do apartheid

Museu do Apartheid – Informações úteis

  • Endereço: Cnr Northern Parkway & Gold Reef Roads, Ormonde, Johannesburg
  • Funcionamento:  Diariamente das 9h às 17h
  • Custo: Adultos R95

nelson mandela mandiba

Então, gostou? Nós gostamos muito da excursão e de fazer turismo em Joanesburgo.

Se você quiser fazer a mesma excursão ao Soweto que a gente, é só clicar neste link:

Mas, se você quiser ver todas as opções de excursões e passeios que existem para o Soweto em Joanesburgo, veja neste link aqui.

Boa viagem!

----------------------------------------------------------------

Se você estiver de viagem marcada, não esqueça jamais de seu Seguro Viagem. Lembre-se que é o seguro viagem para a Europa é obrigatório. Mas, mesmo para os países que não são obrigatórios, como os EUA, nós recomendamos fortemente que você faça, já que o sistema de saúde lá é caríssimo. Então, não embarque sem um ótimo seguro viagem para os Estados Unidos. É aquilo: um seguro é algo que compramos pensando em NÃO usar, né? Mas, se precisar, ele vai te amparar. Nós já utilizamos algumas vezes (em extravio de bagagem e para consultas médicas) e podemos afirmar: é essencial! Faça uma cotação aqui e encontre o seguro viagem mais barato e com o melhor custo x benefício pra você. O link é de uma empresa parceira do blog. Nós recebemos uma porcentagem, mas você não paga nada a mais por isso. Aliás, você paga a menos: leitores do blog têm 5% de desconto! Basta inserir este código promocional na hora de fechar o pagamento: TURISTAPRO5.

🛏 Pesquisando hotel?! Então, dê uma olhada no Booking.com! Você não paga nada pela reserva, cancela e altera quando quiser e ainda consegue os melhores preços.

PLANEJE SUA VIAGEM CONOSCO: 

reserve seu hotelSeguro viagem
chios de internetingressos e passeios
passagens aéreas mais baratas

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here